Nesta abordagem contamos o que se tem feito para preservar a portugalidade por parte da Oficialidade portuguesa mas também pela chinesa, tanto desde o Governo Central Chinês como da própria RAEM. Daremos conta da importância das atividades que Entidades Oficiais chinesas desenvolvem no sentido de conservar, apoiar e divulgar a presença da cultura portuguesa.

Aproximar-nos-emos às iniciativas portuguesas, dando relevo ao caracter institucional da Casa de Portugal que lançou as bases da permanência e continuidade da presença portuguesa no período da pós-transição. A sua história é porventura a história dos portugueses do passado, presente e futuro que marcam o quotidiano da sociedade macaense, sem no entanto descurar os princípios do associativismo que relegam para uma representatividade que vai para além das pessoas e que é feita por pessoas.

Mas não esqueceremos também o empenho de outros portugueses a nível particular ou associativo na preservação da cultura portuguesa, com iniciativas que envolvem e aproximam portugueses e chineses.

É esta a história que queremos contar.